ST Corretora

Notícias

‘Cruzamentos Inteligentes’ podem acabar com acidentes graves

09-01-2018


A Continental tem levado a cabo uma investigação exaustiva de tecnologias que têm por objetivo reduzir os acidentes rodoviários, surgindo na Feira de Eletrónica de Consumo (CES) de Las Vegas com uma série de soluções avançadas de conectividade, incluindo uma que visa tornar os cruzamentos e entroncamentos em locais mais seguros para os condutores.

Esse é aliás um dos pontos de pesquisa em que a Continental mais tem trabalhado, tendo em conta que os cruzamentos e entroncamentos são locais problemáticos em que a probabilidade de acidentes aumenta consideravelmente, devido, sobretudo, a erro humano. Problemas como a falta de atenção, má análise das situações, carros que não estão visíveis ou outros utilizadores da estrada mais vulneráveis são responsáveis por muitos acidentes rodoviários e mortes na estrada em todo o mundo. De acordo com o Departamento Norte-Americano dos Transportes, 51% de todos os acidentes com feridos e 28% dos acidentes fatais ocorrem em cruzamentos.

Face a isso, a divisão tecnológica da Continental está empenhada em melhorar a segurança desses locais com a sua assistência à condução, Vehicle-to-X (comunicações entre o veículo e o que o rodeia) e tecnologias de sensores que transformam os perigosos cruzamentos atuais em cruzamentos mais seguros e inteligentes. A tecnologia deteta os utilizadores num perímetro de 360º dos cruzamentos e comunica a posição e o movimento destes objetos a todos os veículos que se aproximam e que estão equipados com a tecnologia V2X.

O conceito Intelligent Intersection – Cruzamento Inteligente – da Continental é uma solução chave na mão: inclui o conjunto completo de sensores para um cruzamento, os poderosos algoritmos de fusão de sensores que geram o modelo ambiental e as unidades Dedicated Short-Range Communication (DSRC), tanto no cruzamento como no veículo. Um dos objetivos é proteger os utilizadores da estrada mais vulneráveis (VRUs), como peões e ciclistas. Outro objetivo é apoiar os condutores em cenários de cruzamentos complexos, evitando, por exemplo, que os carros que virem à esquerda avancem para o trânsito causado por um acidente.

Esta tecnologia de cruzamentos inteligentes foi demonstrada pela primeira vez numa pista de testes em outubro de 2017 no Centro de Desenvolvimento da Continental em Brimley, Michigan (EUA), sendo que os próximos passos incluem um teste mais amplo e a implementação piloto da tecnologia num cruzamento na Cidade de Columbus, Ohio.

Reduzir o número de acidentes por erro humano

A assistência baseada em sensores torna a condução mais segura e confortável. No entanto, os peões e os ciclistas, por exemplo, só tirarão partido desta tecnologia se forem detetados pelos sensores dos veículos. Muitas vezes, situações de trânsito típicas dos cruzamentos fazem com que tal seja difícil. Outros veículos e infraestruturas da cidade podem facilmente ocultar utilizadores da estrada em situação mais vulnerável e até mesmo outros veículos. O desafio subjacente é colocado por efeitos como escurecimento dos sensores ou obstrução da estrada.

Ao levar para as infraestruturas tecnologias que já provaram funcionar em veículos, a Continental está a enfrentar este desafio: “Com a tecnologia de Cruzamento Inteligente estamos a oferecer um novo elemento de segurança perfeitamente adequado às futuras cidades inteligentes”, disse Bastian Zydek, Gestor de Projeto do Intelligent Intersection. “O Cruzamento Inteligente é uma demonstração de segurança colaborativa e um passo em frente no caminho para a Visão Zero – a nossa visão de uma condução sem acidentes”.

Sensores como a câmara, radar e Lidar são posicionados nos campos dos cruzamentos. Detetam cada utilizador na estrada na área e transmitem uma lista de objetos relevantes a uma unidade de fusão de sensores, que gera um modelo ambiental vasto e a 360°. Os objetos importantes são assim transmitidos através do Dedicated Short-Range Communication a todos os veículos que se aproximam do cruzamento.

Uma unidade de controlo DSRC no veículo recebe as mensagens; depois, um sistema interno verifica a sua importância e desencadeia uma ação adequada se existir uma situação crítica. “A monitorização ativa de cruzamentos dá ao condutor e/ou ao sistema inteligente do veículo uma vantagem de tempo muito importante para agir, mesmo antes que um problema se torne visível”, acrescenta Zydek.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Por Pedro Junceiro, do Motor24.