Patrocínio
Volkswagen

Planejamento Tributário Empresarial: saiba mais para que a sua locadora tenha maior assertividade

Artigo redigido por Rodrigo Santana - VERS Contabilidade → 23/4/20

O planejamento tributário envolve muito mais do que apenas a opção pelo melhor regime tributário, podendo recomendar a forma de captação de crédito, aquisição ou arrendamento de bens, utilização de créditos tributários, forma de contratação de mão de obra e até mesmo o espaço geográfico de atuação.

Tudo isso deve ser muito bem embasado, suportando o gestor a tomar decisões que não sofram futuras autuações pelas entidades fiscalizadoras.

O que é o planejamento tributário? 

É um conjunto de sistemas legais que visam diminuir o pagamento de tributos. O contribuinte tem o direito de estruturar o seu negócio da maneira que melhor lhe pareça, procurando a diminuição dos custos de seu empreendimento, inclusive dos impostos. Se a forma celebrada é jurídica e lícita, a fazenda pública deve aceitá-la. Contudo, antes de seguirmos adiante, é importante destacar a diferença entre evasão e elisão fiscal.

A evasão é fraude ou sonegação fiscal e consiste em utilizar procedimentos que violem diretamente o regulamento fiscal.

Já a elisão fiscal é o planejamento tributário sem ter relação com a fraude propriamente dita e, se admite que os contribuintes tenham o direito de recorrer aos seus procedimentos preferidos, autorizados ou não proibidos pela lei.

Como a sua locadora pode ter maior assertividade no planejamento? 

Toda a qualidade do planejamento vai partir da sua capacidade de projetar as receitas e despesas no exercício. Saiba quanto pretende faturar, conheça a sazonalidade do segmento, o que irá investir e quais serão os seus insumos. Existem técnicas que vão lhe auxiliar a conduzir projeções confiáveis, sempre utilizando os registros do exercício corrente.

Falaremos a seguir sobre quatro dicas que o empreendedor do segmento de aluguel de carros deve ter em mente para maior assertividade no planejamento tributário:

  1. Fique atento ao que diz a legislação

    Levante as variáveis que podem impactar de maneira significativa nas suas operações, mas evite o excesso. Tome conhecimento das alterações na legislação e preveja as atitudes cabíveis.

  1. Consulte especialistas no assunto

    Tenha o suporte de especialistas que possam amarrar todas as informações em várias perspectivas, evitando que consequências indiretas do planejamento passem despercebidas como, por exemplo, a distribuição de lucros, participação no capital de outras sociedades e estrutura societária.

  1. Evite teses arrojadas

    Teses arrojadas devem ser evitadas, pois costumam conduzir as empresas a “aventuras fiscais”, onde finais felizes são raras exceções para o desfecho. Sempre existem opções que podemos respaldar nos precedentes positivos, o que anula ou minimiza os riscos.

  1. Acompanhe todo o processo contábil de sua empresa

    Por fim, após tomar as devidas decisões, informe a todos os envolvidos que as medidas serão adotadas para que o planejamento seja seguido. O acompanhamento contábil de todo o processo é fundamental, e os êxitos percebidos pelo planejamento podem ser expressivos.

E a sua locadora, já fez o planejamento tributário? Se a resposta for negativa, procure o SINDLOC-MG para as devidas orientações, pois talvez, essa medida seja o empurrão que a sua empresa precisa para minimizar, mesmo que parcialmente, os impactos dessa crise.

Rodrigo Santana - VERS Contabilidade

Rodrigo Santana - VERS Contabilidade

Formado em Ciências contábeis pelo Centro Universitário – UNA e pós-graduado em Gestão Fiscal e Tributária pela PUC, é também membro do Conselho Gestor e Diretor de operações e de fomentação de negócios da VERS Contabilidade e integrante do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil – IBRACON. Atuou por mais de dezessete anos nas áreas contábil fiscal, tributária e societária atendendo a todas as empresas do Grupo Localiza.