Patrocínio

Estelionatários: conheça os procedimentos que podem evitar grandes prejuízos

28/6/21

No dia a dia de uma locadora, desconfiar é preciso. É necessário não se encantar com gentilezas e simpatias ou achar que um golpista não perderia tempo e energia em uma negociação. “Ao contrário. A choradeira é uma das principais características dos estelionatários”, alerta Leonardo Soares, Diretor Executivo do SINDLOC-MG.

Patrícia Morais, Coordenadora Administrativa do SINDLOC-MG, avisa: “recebemos relatos quase diários de tentativa de golpe nas locadoras”. Ela conta que recentemente uma associada desconfiou de um cliente. A partir do alerta disparado pelo sindicato, outras duas locadoras escaparam do golpe, mas uma empresa não associada acabou caindo. “Ao desconfiar, emitimos um alerta para as associadas. Não quer dizer que seja, de fato, um estelionatário, mas pedimos atenção. A partir disso, as empresas passam a realizar uma checagem mais rigorosa. Nesse caso, a locadora não associada não teve acesso ao nosso aviso”, explica.

Na comunicação do SINDLOC-MG, o assunto estelionatário é matéria permanente. Várias reportagens sobre o tema já foram elaboradas. Textos didáticos relatando casos e colaborando para evitar que as empresas associadas sejam vítimas. Vale a pena consultar a reportagem de capa da edição 99 da Revista SINDLOC-MG. Porém, é preciso sempre ficar atento. Por isso, elaboramos mais dicas sobre o assunto. Mas atenção: mesmo com uma checagem rigorosa, procedimentos de segurança detalhados, o estelionatário vai sempre tentar burlar os procedimentos de segurança. Assim, desconfiar é sempre preciso.

É PRECISO CHECAR

= pessoa física =

1 – CNH: é papel-moeda?

Pegar na Carteira Nacional de Habilitação – CNH – do cliente é fundamental. É preciso ter certeza que se trata de um papel-moeda. Algumas locadoras usam uma máquina de luz roxa ultravioleta para chegar a autenticidade do documento.

2 – CNH: é válida no Denatran?

Um segundo passo é checar a validade da CNH. Para isso, basta ir ao site do Departamento Nacional de Trânsito – Denatran. A checagem pode ser feita por qualquer empresa ou pessoa cadastrada. A consulta é gratuita e bem simples.

É PRECISO SABER: se a CNH estiver inválida não quer dizer necessariamente que é fraude. O cliente pode ter, por exemplo, perdido a habilitação e ao fazer um Boletim de Ocorrência, a CNH passou a ser inválida no sistema. “Isso não torna o condutor desabilitado. É uma questão apenas burocrática que ele vai precisar resolver depois”, lembra Patrícia Morais que já passou por um caso assim.

3 – Checar o SPC!

O terceiro passo é checar o nome do cliente no Serviço de Proteção ao Crédito – SPC. É preciso ficar atento para índices como restrições, protestos, dívidas, cheque sem fundo, etc. O SINDLOC-MG tem uma parceria com condições especiais para acesso ao serviço.

4 – Solicitar pré-autorização

A pré-autorização é uma ferramenta importante. Trata-se também de uma forma de análise de crédito. Se um banco ou uma operadora já possibilitou um crédito é algo que conta a favor do cliente. Mas atenção: isso não garante muito. Os estelionatários conseguem “esquentar” cartões para atuar nesses golpes.

5 – Conferir o endereço

Solicitar um comprovante de endereço é fundamental, mas mais importante é checar se de fato o endereço é válido. Para isso, consulte o Google Maps.

6 – Checar referências

Um sexto passo é solicitar referências comerciais e pessoais do cliente. Ligar para alguém já dificulta o andamento de um possível golpe.

7 – Pesquisar as redes sociais

Hoje é muito comum uma checagem também via as redes sociais: Linkedin, Instagram e Facebook. A existência de um histórico de fotos e posts são positivos para colaborar na percepção de que não se trata de um estelionatário.

8 – Utilize os produtos e serviços do SINDLOC-MG

Além do SPC, uma parceria do SINDLOC-MG com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte – CDL-BH, é possível aproveitar outros dois serviços oferecidos em condições especiais para os associados do sindicato. Conheça:

Ferramentas de Validação Facial

Uma ferramenta onde é possível comparar a foto do CNH com a base de dados do Governo. A captura das imagens dos documentos pode ser feita via scanners ou câmeras de smartphones, de forma muito simples e rápida, sem necessidade de realizar enquadramentos ou ter qualquer treinamento especial para o operador.

= pessoa jurídica =

Para checagem em casos de pessoa jurídica, além de repetir os procedimentos listados para pessoas físicas (CNHs, SPC, endereço, referências e redes sociais), deve-se acrescentar os seguintes passos:

9 – Antecipar a documentação

Após a negociação fechada, solicite a documentação antecipada. Quanto mais tempo sua análise de crédito tiver, melhor.

10 – Pesquisar histórico

Consulte os dados da empresa na Junta Comercial de Minas Gerais – JUCEMG. Perceba alterações contratuais, faturamentos e endereços. Também é importante pesquisar a empresa na internet, visitar o site e saber se existe um histórico no portal Reclame Aqui.

11 – Checar telefone

Realize uma ligação para os telefones encontrados na pesquisa da internet. Muitas vezes o número fornecido pelo possível cliente pode ser outro.

12 – Realizar uma visita

O ideal, se a empresa for da mesma cidade, é realizar uma visita in loco. Conhecer a estrutura do possível cliente é um excelente indicativo de que não há nada errado.

13 – Perceber detalhes

Uma coisa que pode ajudar é perceber, por exemplo, se o representante da empresa está de uniforme, se possui um cartão de visita corporativo, etc.

SINAIS DE ALERTA

= momento de ação =

Os estelionatários agem, preferencialmente, nas seguintes condições:

  • Véspera de feriado
  • Final de semana prolongado
  • Final do expediente
  • Loja cheia
  • Nos aeroportos, na hora das filas

= histórico SPC =

No SPC fique atento ao histórico de consultas do nome do cliente. Os estelionatários costumam atuar de forma organizada em várias locadoras ao mesmo tempo. Se perceber que ele está sendo pesquisado por outras locadoras, desconfie.

= alerta SINDLOC-MG =

Sempre que um associado alerta o SINDLOC-MG, o sindicato dispara informações em sua lista de transmissão com o objetivo de comunicar os associados sobre uma CNH inválida, um documento falso, enfim, uma tentativa de golpe.

Da Revista SINDLOC-MG;
Imagens: Mohamed Hassan (Ilustrações), do Pixabay.