Patrocínio
Volkswagen
Consultar o CPF/CNPJ dos seus clientes ficou mais fácil e mais barato

Lapinha da Serra, uma continuação da Serra do Cipó

7/6/19

O último “Onde ir, o que fazer?” esteve na Serra do Cipó e passeou pelas belas cachoeiras da região. O lugar é cheio de atrativos e como não foi possível falar de todos eles, a equipe de reportagem voltou e conheceu a Lapinha da Serra, também distrito de Santana do Riacho, que também integra o circuito da Estrada Real. As belas paisagens do lugar estão a 143 quilômetros de Belo Horizonte.

A Lapinha possui cerca de 300 habitantes que vivem da agricultura de subsistência e do turismo. Possuindo inúmeras belezas naturais, a região atrai visitantes para conhecer as cachoeiras, lagos, grutas, rios, picos, sítios arqueológicos, fauna, flora e o principal, as pessoas e a sua cultura local. Alguns destes atrativos a gente vai detalhar por aqui.

Boqueirão
Primeiro Poço, Poço do Pulo e Cachoeirinha, todos formados pelo córrego boqueirão e pertinho da Lapinha. São poucos minutos para se conhecer de uma só vez três lugares com opções de um bom banho. É também a mais próxima das atrações da Lapinha, são no máximo 20 minutos até o ponto mais distante.

Cachoeira do Rapel
Projetada para dentro da montanha através de uma fenda, a cachoeira do Rapel apresenta uma queda d’água bela, alta e larga, além de um lindo poço, compondo um cenário perfeito para um banho de cachoeira. E pra completar ela ainda está localizada bem pertinho do vilarejo.

Cachoeira Bicame
Situada na crista do Espinhaço ela é imponente, perfurando a serra com toda força do Rio de Pedras, o cenário é fascinante.

Cachoeira Paraíso
Em tempo de cheia pode ser vista de qualquer ponto da Lapinha. É desta maravilha que vem a água consumida pelo vilarejo, por este motivo não se pode nadar.

Pinturas rupestres
As pinturas rupestres encontradas nos arredores da Lapinha datam de 6 a 8 mil anos atrás. O passeio até lá é relaxante e de pouco esforço, já que a única forma de se chegar é no barco do proprietário do terreno, que cobra uma taxa de menos de R$ 10 por pessoa. Durante o percurso, que na época das águas passa pela primeira e segunda lagoa, tem-se um contato direto com a represa e uma vista ampla da crista do Espinhaço e do Pico da Lapinha.

Represa
São dois lagos separados por duas montanhas de pedras que quase se encontram, e unidos por um canal de água que passa entre as duas. O primeiro tem em uma de suas margens algumas das casas do vilarejo, para chegar lá são apenas 5 minutos da praça central e o caminho até ele coincide com o começo para muitos outros destinos.

Da Revista SINDLOC-MG.
Fotos: Portal Prefeitura de Santana do Riacho.