Patrocínio
Volkswagen

Sem 11 marcas, Salão do Automóvel de SP muda de estratégia

17/2/20

Chevrolet, BMW, MINI, Toyota, Lexus, JAC Motors, Volvo, Citroën, Peugeot, Jaguar e Land Rover. Essas são as marcas que desistiram oficialmente de participar do Salão do Automóvel de São Paulo 2020. Em decorrência disso, a Reed Exhibitions, empresa responsável pelo evento, anunciou uma mudança de estratégia.

O Salão do Automóvel irá focar em quatro pilares este ano. São eles: evolução, tecnologia, mobilidade e entretenimento. Segundo comunicado da Reed, a feira será a “mais tecnológica de todos os tempos”. Ou seja, isso também explica que o evento irá abordar, especialmente, as inovações tecnológicas, sem deixar os veículos de lado.

A 60ª edição será inspirada no maior evento de tecnologia do mundo: a CES (Consumer Eletronics Show). A feira que acontece anualmente em Las Vegas, nos Estados Unidos, tem atraído cada vez mais as montadoras. “Temos capacidade para ser uma moderna plataforma que reúne todos esses novos avanços”, disse Leandro Lara, diretor de eventos da Reed Exhibitions.

Para 2020, a Reed diz em ser o Salão “mais tecnológico” da história. As inovações estarão do ingresso até a compra de veículos, por exemplo.

Mesmo com a saída de marcas importantes como Chevrolet, Toyota e BMW, a organização do Salão do Automóvel não fala em crise. De acordo com o comunicado, a 60ª edição “está atraindo vultuosos investimentos”. “A Reed pretende não só erguer um evento memorável como liderar a renovação dos salões no mundo”, completa.

Vale ressaltar que o Salão do Automóvel de SP não é o único a perder expositores importantes. Reduzir custos ou apostar em eventos próprios explicam as saídas das montadoras nas tradicionais feiras. Para se ter uma ideia, o Salão do Automóvel de Genebra, considerado um dos principais do mundo, perdeu no ano passado: General Motors, Ford, Hyundai, Lamborghini, Volvo, Jaguar, Opel, Citroën, Mini, Land Rover, Nissan, Mitsubishi, Peugeot e Maserati.

Do Uol.